Antonio Candido, o Militante  

Chico de Oliveira, Antonio Candido e Paul Singer

Além da grande contribuição aos estudos literários, Antonio Candido também tem sido destacado pensador e militante do socialismo democrático no Brasil, desde a luta contra a ditadura do Estado Novo (1937 – 1945).  Foi um dos fundadores da Esquerda Democrática, quando da redemocratização do país, que pouco depois se tornou o Partido Socialista Brasileiro. Conheci-o nesta condição, como dirigente partidário e integrante duma plêiade de intelectuais, que exerceram influência decisiva sobre a nova geração, que despertava para a política no pós-guerra, época marcada pela vitória sobre o nazi-fascismo das democracias ocidentais e da União Soviética.

 

Antonio Candido se engajou na luta contra a repressão do regime militar, sendo um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, em 1980. Recordo com emoção a série de debates sobre o socialismo que organizou, a pedido de Lula, no final do século passado. Ele aceitou a tarefa e convocou, para ajudá-lo, Chico de Oliveira e a mim. Os debates se estenderam por meses, em três, séries e contaram com a participação de lideranças teóricas e da alta direção do partido. Eles certamente contribuíram para definir os rumos da esquerda brasileira na nova etapa histórica que se abriu com o desaparecimento da União Soviética, o fim da Guerra Fria e o ressurgimento vigoroso dos movimentos sociais do povo trabalhador. Com sua fina inteligência e senso de humor, Antonio Candido mostra com seu exemplo que criação cultural e revolução social e política são atividades que não precisam se excluir, mas se complementam com proveito.

Texto escrito por Paul Singer nas comemorações dos 90 anos de Antonio Candido.

Compartilhe
Compartilhe no FacebookCompartilhe no Google+Compartilhe no Twitter

One thought on “Antonio Candido, o Militante  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *