Acervo de Paul Singer ficará no Instituto de Estudos Brasileiros


Os filhos de Paul Singer doaram todo o acervo do autor ao Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo. O IEB receberá o acervo com os documentos, fotos e obras do economista e também a biblioteca do autor, formada por alguns milhares de livros que ele colecionou ao longo de toda a vida, principalmente de ciências humanas.
A obra de Paul Singer é ela mesma bastante extensa. Levantamento feito por Rosangela Pimentel, que foi secretária do autor nos últimos anos de sua vida, lista 27 livros, 152 artigos em coletâneas, 193 artigos em revistas científicas, 659 artigos em jornais, 140 entrevistas e 76 textos em publicações estrangeiras nas línguas alemã, espanhola, inglesa, francesa e italiana. Há ainda muitos textos inéditos, entre cartas, relatórios de pesquisa e comunicações orais feitas pelo professor ao longo de décadas.
O IEB foi fundado em 1962 por iniciativa do professor Sérgio Buarque de Holanda, para concentrar pesquisa e documentação sobre a história e cultura do Brasil. É um centro multidisciplinar com um acervo expressivo de livros, inclusive raros, manuscritos, documentos e obras de arte, provenientes de doações e compras. Dentre as coleções destacam-se as de Mário de Andrade, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Camargo Guarnieri, Caio Prado Jr e Antônio Candido.
Incluídos na Biblioteca e no Arquivo do IEB, as obras de Paul Singer bem como sua coleção de livros ficarão disponíveis a consultas do público e poderão ser utilizados nos cursos de extensão, graduação e pós-graduação, seminários e exposições que o IEB realiza.
Paulo Teixeira Iumatti, Livre-Docente de História do IEB, disse que a equipe do instituto ficou muito honrada “com a escolha do IEB como instituição de guarda para o valiosíssimo acervo do Prof. Paulo Singer. É esta uma grande honra, mas também uma imensa responsabilidade, que assumimos com grande alegria e energia”.
André Singer agradeceu a acolhida: “além do significado de meu pai permanecer na USP, instituição que por 60 anos ele considerou a sua Casa, é de muita importância para nós saber que o acervo e a biblioteca construídos com tanto carinho estarão em lugar de maior excelência na matéria. Não poderia haver melhor espaço para dar continuidade ao trabalho do professor, o que, sem dúvida, era o que mais lhe importava”.

Compartilhe
Compartilhe no FacebookCompartilhe no Google+Compartilhe no Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *